Perguntas Frequentes

Segue abaixo as perguntas mais frequentes no segmento de EPI, confira as respostas à cada uma delas. Se houver alguma dúvida, colocamos nossos contatos a vossa disposição: +55 (62) 3996-2227 / 3922-5057 ou comercial@alvoepi.com.br.


Internamente pelo SESMT e externamente por órgãos fiscalizadores como a Superintendência Regional do Trabalho.

Por profissionais do SESMT e/ou por pessoa treinada para este fim.

Quando entregues aos trabalhadores devem ser guardados em armários individuais.

 A empresa que não cumpre as normas regulamentadoras pode ser multada (códigos citados na NR-28) inclusive no caso de acidente, pode caracterizar responsabilidade por nexo de causalidade.

Estes itens de EPCs estão previstos na NR-18.

Providenciar a especificação por Eng. de Seg. do Trabalho do tipo de EPI mais adequado para os riscos identificados e quantificados.

Ele deve fazer com que o empregado assine um termo de responsabilidade, alertando-o dos riscos que podem ocorrer se este trabalhador não utilizar o material de segurança.

O SESMT, ou um profissional especializado para este serviço.

O SESMT e onde não houver deve ser contratado um profissional Engenheiro de Segurança do Trabalho especificamente para identificar os riscos quantifica-los, analisar a exposição dos trabalhadores e especificar as proteções necessárias.

Caso o empregado venda o seu EPI, caso muito raro, o empregado receberá outro do empregador, porém este pode ser cobrado. Na reincidência ou na recusa injustificada do uso do EPI corretamente especificado o trabalhador poderá ser demitido por justa causa.

 Sinalização e placas informativas sim.